Febre aftosa: suspensão da vacinação abrirá mercados para carne goiana, diz secretário

Primeira etapa da imunização contra a febre aftosa segue até 31 de maio, com a meta de atingir 11 milhões de bovinos e bubalinos em Goiás

O Governo de Goiás realizou na quinta-feira (5/5), em Ceres, a abertura oficial da campanha de vacinação contra febre aftosa e raiva.

Até o dia 31 de maio, 11 milhões de animais devem ser imunizados contra aftosa, conforme estabelecido na Portaria nº 192/2022 da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), garantindo a sanidade dos rebanhos.

O governador Ronaldo Caiado participou do evento no Instituto Federal Goiano (IF Goiano) – Campus Ceres, ao lado do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, do presidente da Agrodefesa, José Essado Neto, e outras autoridades.

Nesta primeira etapa, a vacina bivalente contra a aftosa, na dosagem de 2 ml, deve ser aplicada em bovinos e bubalinos de zero a 24 meses em todo território goiano.

A próxima fase, que contemplará outras idades, ocorrerá no mês de novembro. Caiado espera que a imunização do penúltimo mês do ano seja a derradeira em Goiás. “Se não fosse a pandemia, já estaríamos livres. Peço que os produtores rurais se conscientizem sobre a importância das vacinas. Temos que cuidar para manter o controle”, salientou o chefe do Executivo Estadual.

A partir do ano que vem, a aplicação de doses contra a aftosa não será mais obrigatória em Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Tocantins e Distrito Federal.

Anunciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a suspensão da campanha faz parte do projeto de ampliação de zonas livres da doença sem vacinação no país. O último registrado em Goiás foi no ano de 1995. A meta é que o Brasil se torne totalmente livre do vírus sem imunização até 2026.

VEJA TAMBÉM | Para a Famasul, novo status sanitário vai ampliar acesso a mercados

Já a vacinação contra raiva continua sendo obrigatória, visto que 121 municípios goianos estão em situação de alto risco para a doença. A meta em 2022 é vacinar cerca de 6 milhões de animais. A ação abrange bovinos, bubalinos, equinos, muares, asininos, caprinos e ovinos de zero a 12 meses.

O prazo para declarar a vacinação do rebanho nesta primeira etapa começou no último dia 1º de maio e segue até 7 de junho. Os pecuaristas precisam declarar todos os animais existentes nas propriedades, mesmo os não imunizados. O envio dessas informações é essencial para garantir o controle e a segurança da pecuária goiana.

Tiago Mendonça: “Suspensão da vacinação vai beneficiar pequenos, médios e grandes produtores” (Foto: Enio Tavares)

Durante o evento, o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, lembrou que muitos compradores externos evitavam a carne goiana justamente por ainda estar submetida à obrigatoriedade da vacina contra febre aftosa. “A suspensão da vacinação vai beneficiar pequenos, médios e grandes pecuaristas porque vai abrir novos mercados para o produto de Goiás”, analisou.

Mendonça destacou ainda que a abertura da campanha em Ceres simboliza o empenho do Governo de Goiás em acelerar o desenvolvimento das regiões Norte e Nordeste do Estado.

Já o presidente da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), José Essado Neto, elogiou o trabalho da equipe do órgão para manter em alto nível a avaliação de Goiás junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Com apoio do governador, do secretário e de parceiros públicos e privados, conseguimos enquadrar Goiás nos criterios do Mapa e chegar a esta condição de ficar livre da vacinação a partir de 2023”, destacou. Segundo ele, a Agrodefesa cresceu e aprimorou processos nos últimos três anos. “Exportamos tecnologia hoje”, pontuou.

Estiveram ao lado do governador na agenda em Ceres também o vice-prefeito do município, Dino Ayres; a primeira-dama da cidade e secretária municipal de Desenvolvimento Social, Lucelma Florisbelo; o ex-prefeito de Trinade, Jânio Darrot; o diretor-geral substituto do Instituto Federal Goiano (IF Goiano), Hamilton Mendes da Cunha; o deputado estadual Talles Barreto e superintendente federal da agricultura em Goiás, José Eduardo França.

Fonte: Ascom Seapa e Agrodefesa / Governo de GO

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Revista DBO | Ele quer todo gado na sombra

VEJA os destaques da edição de maio e o Especial Instalações e Equipamentos; na capa, a Agropastoril Campanelli investe em cobertura metálica dos currais e comprova ganho de mais de meia arroba por animal engordado na sombra

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.