Agricultura vai liberar R$ 990 milhões para subsidiar seguro rural

Segundo a pasta, nos três primeiros meses de 2022, as seguradoras já pagaram aos produtores aproximadamente R$ 5,8 bilhões em indenizações

O Ministério da Agricultura informou que serão disponibilizados R$ 990 milhões ao longo dos próximos meses para subsidiar o seguro rural. A Resolução nº 93 do Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural, publicada nesta terça-feira, 17, aprova a distribuição do orçamento do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) para o exercício de 2022.

Segundo a pasta, nos três primeiros meses de 2022, as seguradoras já pagaram aos produtores aproximadamente R$ 5,8 bilhões em indenizações, decorrente principalmente dos sinistros observados nas lavouras de soja e milho verão na região Centro-Sul. Em 2021, o total pago em indenizações pelas seguradoras aos produtores foi de R$ 5,4 bilhões.

VEJA TAMBÉM | Valor Bruto da Produção Agropecuária deve crescer 2,7% e atingir R$ 1,236 tri

O diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Ministério, Pedro Loyola, disse em nota que deve ser solicitada “em breve” suplementação do orçamento para o programa, devido ao aumento do custo e do preço dos principais produtos segurados que são contemplados no PSR, como a soja e o milho, o que reflete na elevação do preço final do seguro.

“Além disso, em decorrência da alta sinistralidade registrada nos últimos anos, a taxa de prêmio para alguns seguros também foi majorada, o que também encarece o valor da apólice e por consequência demanda mais recurso para subsidiar a contratação das apólices”, aponta.

A liberação do recurso de R$ 990 milhões vai possibilitar, ainda conforme o ministério, o apoio na contratação de aproximadamente 140 mil apólices de seguro rural no País. “A novidade é que a área segurada passa a ser georreferenciada a partir de 2022 no âmbito do PSR, visando melhorar as informações de mapeamento e monitoramento por satélite para cruzamento de informações com outras bases de dados”, diz.

Do orçamento total a ser disponibilizado, R$ 500 milhões serão para as culturas de inverno (milho 2ª safra, trigo e demais grãos de inverno), R$ 324 milhões para os grãos de verão, R$ 72 milhões para as frutas, R$ 12 milhões para a modalidade pecuário, R$ 2 milhões para a modalidade de florestas e R$ 80 milhões para as demais culturas.

Em relação ao orçamento destinado para os grãos de verão, parte desse recurso (R$ 60 milhões) será exclusiva para as contratações realizadas nas Regiões Norte e Nordeste. “Em 2021, foi possível impulsionar a contratação de 3.310 apólices, 102% a mais que 2019. A importância segurada nessas regiões aumentou 167%, passando de R$ 1,05 bilhão em 2019 para R$ 2,8 bilhões no ano passado”, destaca o ministério.

VEJA TAMBÉM | Milho: frente fria deixa produtores em alerta no Brasil, informa Cepea

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.