Alta do boi se intensifica com melhora da demanda interna

O avanço no consumo de proteínas nos grandes centros urbanos deve se estender pelos próximos dias, esquentando o mercado de muitas praças pecuárias

Nesta quarta-feira, com a sinalização de melhora nas vendas de carne bovina dentro do País, os frigoríficos se mostraram mais dispostos a oferecer valores mais altos pela arroba do boi gordo, com foco no preenchimento das curtas escalas de abate, informa a IHS Markit.

“O avanço no consumo de proteínas nos grandes centros urbanos deve se estender pelos próximos dias, já que, além da entrada de massa salarial de parte da população, as comemorações de Dia dos Pais no Brasil devem oferecer suporte adicional à demanda”, prevê a consultoria.

Continue a leitura após o anúncio
Consumo interno dá sinais de reação. Foto: Agência Brasil

Além da recuperação das vendas no mercado interno, o escoamento dos cortes bovinos é beneficiado pelo resultado positivo das exportações, que se deve, principalmente, à presença ativa da China no mercado internacional.

Diante das perspectivas positivas para o comportamento das demandas interna e externa pela proteína vermelha, além do quadro de grande escassez de oferta, as cotações da boiada gorda no mercado físico seguem em patamares elevados e em trajetória de alta nas principais praças pecuárias.

“Ao longo dessa primeira quinzena de agosto, a oferta de boiada gorda deve permanecer baixa, com entrada de maiores lotes de gado provindo dos confinamentos apenas no final do mês”, observa a IHS Markit.

Giro pelas praças

Com exceção de Colíder-MT, todas as praças pecuárias pesquisadas pela IHS Markit já registram negócios com preços máximos acima de R$ 200/@ pelo boi gordo, ilustra.

Na região Norte, os preços subiram nesta quarta-feira em Rondônia, Pará e Tocantins. A baixa disponibilidade de matéria prima na região tem limitado o fluxo de negócios e as indústrias operam com escalas apertadas – em média, atendem 4 dias úteis.

No Nordeste, as praças do Maranhão e Bahia também registraram altas em meio a dificuldade para comprar a matéria prima, informa a IHS Markit.

No Centro-Sul, a arroba da boiada gorda se valorizou no Mato Grosso, Goiás e Paraná. As indústrias dessas regiões atuam de forma ativa para atender aos compromissos regulares de exportação.

Nas regiões produtivas do Sudeste, as cotações subiram em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Os ajustes positivos têm suporte na restrição de oferta de gado.

No atacado, o preço dos principais cortes bovinos segue estáveis. Com a entrada do mês de agosto, o ritmo do escoamento das carnes das prateleiras se mostrou acima do registrado na semana anterior, cenário que pode abrir margem para novos ajustes positivos nas cotações da carne bovina ao longo dos próximos dias.

Confira as cotações para esta terça-feira, dia 5 de agosto, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 229/@ (prazo)

vaca a R$ 215/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 205/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@  (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 219/@ (prazo)

vaca a R$ 207/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 200/@ (prazo)

vaca a R$ 188/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 200/@ (prazo)

vaca a R$ 188/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 204/@ (prazo)

vaca a R$ 194/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 203/@ (à vista)

vaca a R$ 190/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 195/@ (à vista)

vaca a R$ 185/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca R$ 208/@  (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca a R$ 209/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 217/@ (à vista)

vaca a R$ 202/@  (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 225/@ (prazo)

vaca a R$ 213/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 226/@ (prazo)

vaca a R$ 213/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 226/@ (à vista)

vaca a R$ 216/@ (à vista)

RS-P.Alegre:

boi a R$ 220/@ (à vista)

vaca a R$ 213/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 220/@ (à vista)

vaca a R$ 213/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 212/@ (prazo)

vaca a R$ 206/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 211/@ (prazo)

vaca a R$ 206/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 211/@ (prazo)

vaca a R$ 203/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 217/@ (prazo)

vaca a R$ 204/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 216/@ (à vista)

vaca a R$ 203/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 200/@ (à vista)

vaca a R$ 190/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 213/@ (prazo)

vaca a R$ 203/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 212/@ (à vista)

vaca a R$ 195/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Revista DBO – Saindo na frente

Confira a edição de setembro, que traz o “Especial de Genética e Reprodução” com 7 reportagens exclusivas, além de outras 21 reportagens e análises sobre o mundo da pecuária

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO