Menu
Menu

Assistência técnica faz a diferença para produtores de Sergipe

Com a assistência gratuita de dois anos através do Senar, os produtores dobram e até triplicaram a produção

O Programa de Assistência Técnica e Gerencial (AteG) tem mudado a realidade de produtores rurais em Sergipe. Com a assistência gratuita de dois anos, os produtores dobram e até triplicaram a produção. O programa atendeu 140 produtores em sete municípios e atualmente 200 produtores estão sendo assistidos.

O produtor de leite, Eduardo Santos Costa, 28 anos, é dos casos de sucesso do programa. Ele foi assistido durante dois anos no município de Nossa Senhora da Glória, sertão sergipano. Eduardo produzia 95 litros de leite por dia e hoje produz cerca de 400 litros.

“Antes do programa, tirava 95 litros de leite em oito vacas. Quatro meses depois, as mesmas oito vacas chegaram a 200 litros de leite e tive que fazer uma ordenha mecânica. Atingir um patamar é fácil, difícil é se manter. Com um ano de programa, obtive uma média de 28 litros por vaca o ano inteiro”, afirma.

Para Eduardo Costa, o principal aprendizado durante o programa foi calcular os custos da sua produção, algo que ele não fazia antes da assistência.

“O programa mostrou para gente que precisa fazer conta. Aos poucos os resultados chegaram. Ando com as sacolas com as notas. Tenho pesagem de leite, controle leiteiro, leite que vai para indústria, recibo de medicamentos e da ração para o mês todo. Tenho o controle de toda despesa e sei o que posso fazer ou não”, lembra Eduardo.

Com o aumento da produção, Eduardo mudou o seu rebanho para a propriedade do pai, que é maior, implantou a ordenha mecânica, passou a separar os animais por lote e construiu uma estrutura física. O produtor Eduardo Costa fez também, pela primeira vez, um planejamento alimentar que garantiu alimento para o rebanho durante a estiagem. Ao lado da propriedade, ele fez uma plantação de palma.

“Fizemos silagem, rolão de milho com cana e tudo. Plantamos, mas não colhemos. Começamos a estocar alimentos como rolão, palma para na baixa utilizar a nossa ração sem precisar comprar”.

A supervisora da assistência técnica, Camila Xavier, destaca que Eduardo foi um dos produtores que mais se destacou no programa. Ele participou de todos os treinamentos oferecidos pelo Senar/SE e seguiu as recomendações do seu técnico de campo Ismar Lima de Farias.

“A história do Eduardo dentro do programa é muito bonita. Na minha segunda visita eu já encontrei uma ordenha mecanizada, mesmo que pequena, totalmente diferente. Ele cresceu muito em pouco tempo. Naquele momento, a gente fez as contas dele e ele já tinha um lucro, mas mesmo assim, ele foi capaz de crescer muito com esse rebanho. Aumentou o plantio de palma melhorando a alimentação e trato dos animais, melhorou a produção. Passado dois anos, encontramos um rapaz forte no setor produzindo 400 litros de leite por dia. O conhecimento chegou aqui e ficou”, enfatiza Camila.

Mais casos de sucesso

O produtor Adriano Vieira da Costa também foi assistido pelo programa de Assistência Técnica. Ele lembra que tinha apenas uma ordenha e produzia cerca de 100 de leite por dia. Hoje, mesmo com a ordenha manual, ele produz 400 litros de leite por dia.

“Quando comecei, produzia 100 litros de leite por dia. Depois fui trocando alguns animais, melhorei o manejo e hoje estou com 400 litros por dia com 20 vacas. Minha média é aumentar para 1000 litros por dia. Pretendo melhorar a quantidade de vacas passando para 35 vacas. Estamos fazendo um investimento para mecanizar e melhorar a qualidade. Descansar também porque cansa as mãos, além de gerar uma economia de mão-de-obra”, afirma Adriano.

Programa

O programa de Assistência Técnica do Senar/SE é gratuito e tem duração de dois anos. Os produtores recebem visitas mensais dos técnicos de campo e são orientados sobre como gerenciar a propriedade para aumentar a produtividade e os lucros.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

Produtores já estão testando novo modelo de produção de novilhas

A Agropecuária JBJ, de GO, e a Fazenda Rancho Fundo, do MS, suplementam as fêmeas desde bezerras para desafiá-las na IATF aos 13-14 meses.

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

“Precocinhas” Nelore no confinamento

Os sistemas de produção de novilhas precoces também abrem caminho para a engorda dessas fêmeas para venda bonificada a programas de carne de qualidade.

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

Novilhas Nelore sob holofotes

Elas são as novas estrelas da pecuária, graças aos avanços em precocidade com prenhez aos 13-14 meses, e valorização nos projetos de carne gourmet. Agora, elas também são objeto de pesquisa da Apta-Colina para o desenvolvimento de sistema específico de produção, a exemplo do programa do Boi 7-7-7.

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

Café com frio

Especialista dá dicas de como evitar problemas com o frio no cafezal, cultura que gosta de “cabeça quente e pés frios”

SOBRE A MÍDIA DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

ANUNCIE DBO

Acompanhe aqui o vídeo da edição mais recente da Revista DBO. Para ver os destaques das outras edições, basta clicar aqui.

ASSINE A REVISTA DBO

Revista DBO Ligue grátis: 0800 110618 (Segunda a sexta, das 08h00 às 18h00)

2018 DBO - Todos os direitos reservados

×
×

Carrinho