Biosev tem prejuízo de R$ 1,08 bilhão no 4º trimestre da safra 2019/20

Em igual trimestre da safra anterior, a companhia havia registrado prejuízo líquido de R$ 306,549 milhões
Foto: Nacho Doce/Reuters

A Biosev, braço sucroenergético do Grupo Louis Dreyfus, reportou prejuízo líquido de R$ 1,08 bilhão no quarto trimestre do ano-safra 2019/20, entre janeiro e março deste ano. O resultado leva em conta os impactos da norma IFRS 16, adotada em abril de 2019, sem a qual a companhia teria registrado prejuízo líquido de R$ 1,053 bilhão. Em igual trimestre da safra anterior, a companhia havia registrado prejuízo líquido de R$ 306,549 milhões.

Em toda a safra 2019/2020, a Biosev acumulou prejuízo líquido de R$ 1,551 bilhão, 29,4% superior ao total de R$ 1,199 bilhão de prejuízo da safra 2018/19. Os resultados foram divulgados na noite desta segunda-feira, 27 de julho, após o fechamento do mercado.

O prejuízo no acumulado da safra se deve, entre outros fatores, à variação cambial e aos menores rendimentos de aplicações financeiras no período, que foram “parcialmente compensados por aumento da receita líquida e pela estratégia da companhia de otimização de vendas com prioridade aos produtos e períodos de maior captura de valor agregado”, afirma a Biosev.

A receita líquida da companhia (ex-HACC) cresceu 47,5% na mesma base de comparação trimestral, para R$ 1,877 bilhão, e foi 7,6% maior nos 12 meses do ano-safra, a R$ 6,8 bilhões. O aumento da receita decorre em grande parte da comercialização de maiores volumes de etanol no mercado externo, afirmou a companhia no comunicado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado ex-revenda/HACC/IFRS16 totalizou R$ 389,72 milhões no quarto trimestre de 2019/2020, alta de 27% sobre igual período da safra passada, e subiu 12,9% na comparação de 2018/2019 e 2019/2020, para R$ 1,763 bilhão.

A dívida líquida em 31 de março deste ano de R$ 6,094 bilhões, 31% maior em comparação com a do último trimestre de 2018/2019, de R$ 4,650 bilhões. A alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda, da Biosev diminuiu de 3 vezes para 2,9 vezes entre os trimestres na comparação anual.

A Biosev investiu um total de R$ 412,218 milhões no quarto trimestre, 27,5% a menos que em igual período da passada. Do total, R$ 193,392 milhões foram investidos nas operações. Na safra 2019/2020, o capex atingiu R$ 1,172 bilhão, queda de 7,7% sobre 2018/2019.

De acordo com a companhia, o resultado reflete a estratégia de redução de custos e aumento de competitividade. “Os investimentos foram concentrados em plantio para renovação dos canaviais, parcialmente compensados por reduções de gastos com tratos e com manutenção industrial”, afirmou em comunicado.

Quanto aos efeitos da pandemia do novo coronavírus nos resultados, a Biosev informou que apesar do cenário de restrições, as suas operações não tiveram impactos relevantes. Além disso, não houve repriorização no Capex previsto.

No documento, entretanto, a empresa esclareceu que está exposta aos riscos operacionais e de mercado relacionados à pandemia e, portanto, permanece alerta à evolução da situação. Caso necessário, a empresa pode tomar novas medidas e revisar as suas projeções.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.