Boi gordo: semana marcada pela valorização da arroba sobretudo nas praças de São Paulo e Mato Grosso

O avanço do período de entressafra, além do ritmo forte das exportações de carne bovina, reforça a tendência de alta das cotações nas principais regiões pecuárias

A dificuldade em encontrar a matéria-prima enxugou as programações de abate das indústrias frigoríficas, fortalecendo o viés de alta da arroba do boi gordo e demais categorias enviadas ao gancho.

Durante a semana, a referência para o macho terminado destinado ao mercado doméstico acumulou valorização de R$ 7/@ no interior de São Paulo, fechando a sexta-feira em R$ 310/@ (preço bruto e a prazo), informa a zootecnista Thayná Drugowick, analista de mercado da Scot Consultoria.

Por sua vez, o animal com padrão para atender o mercado da China (até quatro dentes) segue firme, valendo R$ 320/@ no mercado paulista.

“Porém, já ocorrem negócios pontuais envolvendo lotes de boi-China por R$ 325/@”, relata a analista da Scot.

Os preços da vaca e novilha gordas negociadas nas praças de São Paulo permaneceram estáveis na sexta-feira, em R$ 280/@ e R$ 300/@, respectivamente (valores brutos e a prazo), acrescenta a Scot Consultoria.

Na avaliação de Thayná, com a proximidade da virada de mês, a tendência é de que o mercado do boi gordo siga relativamente aquecido, com frigoríficos recompondo os estoques a fim de atender o maior consumo esperado para o início de julho (estimulado pela entrada dos salários nas contas dos trabalhadores.

VEJA TAMBÉM | Mercado Pecuário | Entressafra e mercado externo: qual o impacto sobre a cotação do boi gordo?

Além disso, continua a analista da Scot, as expectativas para as exportações brasileiras de carne bovina são positivas, em meio ao movimento de desvalorização do real frente ao dólar, o que contribuiu para a maior competitividade do produto nacional.

Até a terceira semana de junho, foram exportadas 97,94 mil toneladas de carne bovina in natura, com volume médio diário embarcado de 8,16 mil toneladas, um avanço de 22,2% frente à média de junho/21 (6,68 mil toneladas).

Outras praças – Nesta sexta-feira, a IHS Markit observou avanços nos preços da arroba em quase todas as regiões pecuárias do Mato Grosso (com exceção de praça de Cuiabá, onde o boi gordo ficou estável), fundamentados pelo atual descompasso entre oferta de gado disponível para abate e a procura por parte das indústrias.

A IHS também observou aumentos diários nas cotações do boi gordo nos Estados do Maranhão e de Rondônia, também refletindo a dificuldade em originar maiores volumes de boiada gorda (veja a baixo os preços máximos do boi gordo e da vaca gorda nas principais praças pecuárias do País).

Segundo a IHS, o volume de boiada gorda terminada a pasto é bastante escasso em boa parte do País, sobretudo nas regiões Sudeste e Sul.

Na faixa Centro-Norte ainda há oferta remanescente de lotes terminados a pasto, porém já há sinais de exaustão.

Além disso, diz a IHS, é baixa a oferta de boiada advinda do primeiro giro de confinamento, setor desestimulado pelos altos custos com nutrição animal.

Segundo a IHS, neste momento, pode-se observar atuações mais contidas por parte sobretudo das indústrias de São Paulo, que atuam de forma cautelosa no mercado do boi gordo para conter maiores valorizações da arroba que possam se alastrar pelas demais regiões pecuárias do País.

No mercado doméstico, os preços dos principais cortes bovinos continuaram estáveis nesta sexta-feira, depois dos ganhos obtidos na primeira quinzena do mês, informa a IHS.

Cotações máximas de machos e fêmeas desta sexta-feira, 24 de junho
(Fonte: IHS Markit)

SP-Noroeste:

boi a R$ 320/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 300/@ (à vista)
vaca a R$ 280/@ (à vista)

MS-C.Grande:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 291/@ (prazo)
vaca a R$ 276/@ (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 275/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 287/@ (prazo)
vaca a R$ 271/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 275/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 270/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca R$ 280/@ (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 300/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 310/@ (à vista)
vaca a R$ 280/@ (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 310/@ (prazo)
vaca a R$ 265/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 275/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 285/@ (à vista)
vaca a R$ 275/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 330/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 330/@ (à vista)
vaca a R$ 300/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 275/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 292/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 290/@ (prazo)
vaca a R$ 280/@ (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 280/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 260/@ (à vista)

vaca a R$ 250/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 288/@ (prazo)
vaca a R$ [email protected] (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 281/@ (à vista)
vaca a R$ 265/@ (à vista)

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Revista DBO | Nova revolução no cocho

VEJA os destaques da edição de agosto e o Especial Confinamento; na capa, com quase nada ou zero volumoso, a chamada ‘dieta fast’ ganha os cochos, melhora o desempenho dos animais e simplifica as operações.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.