Caixa tem R$ 12 bilhões para o agro no primeiro semestre

Banco prepara a abertura de 21 agências especializadas em agronegócio pelo Brasil
Prédio da Caixa Econômica Federal em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nesta segunda-feira (22/2) em evento online com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que o banco ofertou R$ 12 bilhões para o pré-custeio da safra 2021/22.

O montante já estava disponível ao setor em dezembro do ano passado e, segundo o executivo, R$ 8 bilhões já foram concedidos a agentes do setor, por meio de linhas do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e outras para produtores de maior porte. “Até o começo de abril, acredito que já teremos emprestado os R$ 12 bilhões. Se houver mais demanda, poderemos empresar R$ 13, R$ 14, R$ 15, R$ 16 bilhões”, afirmou Guimarães no evento de anúncio do custeio antecipado para o agronegócio.

Dos R$ 12 bilhões, R$ 8 bilhões foram alocados para custeio e R$ 4 bilhões para investimentos. Para custeio, as taxas de juros do Pronaf são de 2,75% ao ano; do Pronamp, 4% ao ano, e demais produtores, 5% ao ano, conforme informado pelo executivo durante o anúncio.

Durante o evento, Guimarães destacou o crescimento da carteira do banco no último ano. Entre janeiro e dezembro, o montante aumentou 73% em relação a 2019, chegando a R$ 7,7 bilhões. Em fevereiro, a carteira atingiu R$ 8 bilhões.

O presidente da Caixa chamou a atenção, ainda, para o fato de que a instituição financeira está retomando a concessão de dinheiro com recursos obrigatórios (porcentual de depósitos à vista e de poupança que os bancos compulsoriamente destinam para financiar o setor rural) e que olhará com maior atenção também para os pequenos. “A Caixa até então não tinha foco no pequeno produtor, o que essa gestão considera inaceitável”, afirmou Guimarães.

Além disso, Guimarães anunciou que a Caixa se prepara para abrir 21 agências dedicadas ao agronegócio, com estrutura e equipes exclusivas para o atendimento de produtores rurais. Ele detalhou que dez delas estarão localizadas no Centro-Oeste, cinco no Sudeste, três no Nordeste e três no Sul. “Estamos abrindo agências tanto em cidades com 22 mil habitantes, que é o caso de Canarana (MT), como em municípios maiores, de 242 mil habitantes, como Rio Verde, em Goiás”, comentou Guimarães.

Com a expansão e o reforço na oferta de recursos ao setor, o objetivo é chegar ao fim de 2022 com um carteira próxima de R$ 40 bilhões, ante cerca de R$ 8 bilhões atualmente. “Isso representaria aumento de dez vezes em comparação a janeiro de 2019, quando essa gestão começou”, afirmou o executivo.

Guimarães reforçou os planos de dar atenção especial aos pequenos produtores. “Não faremos uma expansão atabalhoada mas cresceremos continuamente. Teremos participação de 30% (no mercado de crédito rural)? Não. Mas seremos relevantes para os mais carentes e, aí sim, chegar a 25%, 30% (de participação de mercado)”, afirmou.

No Centro-Oeste, além de Canarana e Rio Verde, receberão agências especializadas em agronegócio da Caixa as cidades de Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste e Dourados, em Mato Grosso do Sul; Campo Novo do Parecis, Primavera do Leste e Sorriso, em Mato Grosso, e Porangatu e Cristalina, em Goiás.

No Sudeste, contarão com agências agro os municípios de Patrocínio, Araxá, Uberaba e Uberlândia, em Minas Gerais, e Bauru, em São Paulo; no Sul, foram escolhidos Campo Mourão e Guarapuava, no Paraná, e Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. No Nordeste, contarão com as agências para o setor rural, inicialmente, as cidades de Bom Jesus, no Piauí, Barreiras, na Bahia, e Petrolina, em Pernambuco.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participou do evento online e elogiou os planos de expansão do banco junto ao setor. “Ficamos muito felizes que a Caixa está dando foco para o agronegócio, precisamos de mais bancos atendendo o agro e estou certa de que em breve haverá uma segunda etapa (de abertura de agências agro)”, afirmou a ministra.

Ela chamou a atenção também para o atendimento à agricultura familiar. “Tenho certeza de que a Caixa será grande aliada do ‘pronafiano’”, afirmou, referindo-se a agricultores de pequeno porte que tomam recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Guimarães comentou ainda que a Caixa continuará realizando o evento itinerante Carreta Agro Caixa, de visitas a cidades estratégicas para o setor, eventos e feiras, realizando reuniões técnicas, atendimento a clientes e assinatura de contratos. Para este ano, estão previstas visitas a mais de 20 cidades de 13 Estados.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.