Com restaurantes e escolas fechadas, preços do frango seguem em queda

Primeiras semanas do mês geralmente são caracterizadas por aquecimento na demanda e pelo consequente aumento nos valores

As cotações da maior parte dos produtos avícolas levantados pelo Cepea estão em baixa. Segundo pesquisadores, apesar de as primeiras semanas do mês serem geralmente caracterizadas por aquecimento na demanda e pelo consequente aumento nos valores, devido ao recebimento de salários, o cenário foi diferente em abril.

Com restaurantes, escolas e bares fechados e/ou com as atividades limitadas, a demanda por carne está enfraquecida. Com isso, a indústria adquire com cautela novos lotes de animais para abate e reajusta negativamente as cotações.

Em contraste à baixa liquidez no mercado doméstico, os embarques de carne de frango in natura estão aquecidos. Segundo dados parciais da Secex, a média diária das exportações foi de 17,43 mil toneladas entre os dias 1º e 9 de abril. O volume representa uma elevação de 18,1% frente à média verificada em março

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.