Exportações de café solúvel caem 3,46% em julho, diz Abics

Em receita, vendas externas caíram 17,48% na comparação anual - para US$ 46,26 milhões

As exportações brasileiras de café solúvel tiveram queda em julho deste ano na comparação com igual período de 2018, informou nesta segunda-feira, 12, a Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics). Em volume, as vendas externas caíram 3,46% na comparação anual, para 326.815 sacas de 60kg.

A receita no mês teve queda ainda mais considerável, refletindo o recuo dos preços da commodity: 17,48%, para US$ 46,26 milhões. As exportações totais no acumulado dos sete primeiros meses de 2019 ainda apresentam crescimento de 13,63% em relação ao mesmo período de 2018, para 2.315.587 sacas.

Continue a leitura após o anúncio

As receitas, entretanto, recuaram 0,93% no período, para US$ 338,4 milhões. Os principais destinos do café solúvel brasileiro entre janeiro e julho de 2019 foram os Estados Unidos (372.851 sacas, 11,92% a mais do que no mesmo período de 2018), Rússia (220.578 sacas, queda anual de 5,11%) e Indonésia (171.569 sacas, aumento anual de 11,61%).

O diretor de Relações Internacionais da Abics, Aguinaldo Lima, afirmou que os resultados do acumulado do ano são positivos e estimou que o Brasil possa exportar 500 mil sacas de solúvel a mais do que no ano passado. “Assim como o café verde, o solúvel brasileiro vem ganhando mais espaço no mercado internacional e, se essas projeções permanecerem nesse ritmo, o Brasil poderá exportar 500 mil sacas do produto a mais em relação a 2018”, estimou ele em nota.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO