Fundamento de mercado continua o mesmo: frigorífico procura, mas não encontra gado pronto

Pecuarista com boi para negociar está cauteloso, de olho no período de maior demanda na virada de mês

Nesta segunda-feira, o mercado do boi gordo registrou novas valorizações em praças importantes do País, como nos balcões de São Paulo, onde o valor máximo bateu R$ 268/@, a prazo, enquanto que a vaca gorda atingiu R$ 255/@, segundo apurou a IHS Markit.

As cotações da arroba também subiram hoje no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e algumas regiões do Norte e Nordeste (veja no final desta páginas os valores atuais de machos e de fêmeas nas principais regiões pecuárias do País).

Os fundamentos do mercado permanecem os mesmos das semanas anteriores: grande dificuldade dos frigoríficos em encontrar lotes de boiadas prontas, além do avanço da demanda pela carne bovina, sobretudo de países importadores.  “Em algumas praças, as escalas de abate até encolheram”, relata a IHS.

O menor ritmo de produção da indústria é refletido também nos indicadores de abate. No Mato Grosso, dados divulgados pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) apontaram um recuo de 1,82% nos abates em setembro, na comparação com agosto, e queda de 5,17% frente ao mesmo mês em 2019. No total, foram abatidas cerca de 482,1 mil cabeças. O instituto apontou também para a representatividade da redução no abate de fêmeas, que caiu 12,47% em setembro em comparação com os dados de agosto.

No acumulado das três primeiras semanas de outubro, o volume exportado de carne bovina in natura foi 6,04% superior ao registrado no mesmo período em 2019, atingindo 8,22 mil toneladas na média diária ao longo dos 11 primeiros dias úteis do mês, de acordo com dados preliminares da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em termos de receita, as exportações renderam cerca de US$ 34,7 milhões por dia para a balança comercial brasileira, elevação de 09% frente a média de outubro/19.

No entanto, a oferta restrita de animais, observa a IHS, não possibilita uma maior liquidez de negócios no mercado físico, mesmo havendo reajustes nas indicações de compra de gado. “Tais condições devem manter a expectativa de cotações firmes nos próximos dias, sobretudo com a chegada de virada de mês (quando entra o dinheiro dos salários na conta dos trabalhadores”, prevê a IHS.

Segundo a consultoria, do lado vendedor, os pecuaristas que têm animais gordos para negociar estão cautelosos, de olho no período de maior demanda nesta virada de mês e na forma como as indústrias devem trabalhar as suas escalas nos próximos dias.

No atacado, depois das altas verificadas na semana anterior, os preços dos principais cortes bovinos se mostraram estáveis nesta segunda-feira. O fluxo de comercialização foi irregular, mas ainda suficiente para garantir suporte à manutenção dos patamares atuais de preços, de acordo com a IHS.

Confira as cotações desta segunda-feira, 26 de outubro, segundo dados da IHS Markit:

SP-Noroeste:

boi a R$ 268/@ (prazo)
vaca a R$ 255/@ (prazo)

MS-Dourados:

boi a R$ 258/@ (à vista)
vaca a R$ 241/@ (à vista)

MS-C. Grande:

boi a R$ 260/@ (prazo)
vaca a R$ 243/@  (prazo)

MS-Três Lagoas:

boi a R$ [email protected] (prazo)
vaca a R$ [email protected] (prazo)

MT-Cáceres:

boi a R$ 253/@ (prazo)
vaca a R$ [email protected] (prazo)

MT-Tangará:

boi a R$ [email protected] (prazo)
vaca a R$ 245/@ (prazo)

MT-B. Garças:

boi a R$ 252/@ (prazo)
vaca a R$ 241/@ (prazo)

MT-Cuiabá:

boi a R$ 250/@ (à vista)
vaca a R$ 239/@ (à vista)

MT-Colíder:

boi a R$ 248/@ (à vista)
vaca a R$ 238/@ (à vista)

GO-Goiânia:

boi a R$ 250/@ (prazo)
vaca R$ 240/@  (prazo)

GO-Sul:

boi a R$ 251/@ (prazo)
vaca a R$ 242/@ (prazo)

PR-Maringá:

boi a R$ 256/@ (à vista)
vaca a R$ 243/@  (à vista)

MG-Triângulo:

boi a R$ 259/@ (prazo)
vaca a R$ 249/@ (prazo)

MG-B.H.:

boi a R$ 258/@ (prazo)
vaca a R$ 248/@ (prazo)

BA-F. Santana:

boi a R$ 252/@ (à vista)
vaca a R$ 248/@ (à vista)

RS-Porto Alegre:

boi a R$ 240/@ (à vista)
vaca a R$ 226/@ (à vista)

RS-Fronteira:

boi a R$ 339/@ (à vista)
vaca a R$ 226/@ (à vista)

PA-Marabá:

boi a R$ 263/@ (prazo)
vaca a R$ 253/@ (prazo)

PA-Redenção:

boi a R$ [email protected] (prazo)
vaca a R$ 255/@ (prazo)

PA-Paragominas:

boi a R$ 263/@ (prazo)
vaca a R$ 254/@ (prazo)

TO-Araguaína:

boi a R$ 261/@ (prazo)
vaca a R$ [email protected] (prazo)

TO-Gurupi:

boi a R$ 255/@ (à vista)
vaca a R$ 245/@ (à vista)

RO-Cacoal:

boi a R$ 246/@ (à vista)
vaca a R$ 235/@ (à vista)

RJ-Campos:

boi a R$ 251/@ (prazo)
vaca a R$ 244/@ (prazo)

MA-Açailândia:

boi a R$ 254/@ (à vista)
vaca a R$ 239/@ (à vista)

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.