Gestão digital e inteligente dita o futuro da pecuária

Pecuaristas que não investirem em gestão completa e tecnológica perderão negócios, rentabilidade e produtividade 

Renato Dib (de chapéu) faz todo o planejamento nutricional da Vera Cruz, que trabalha com ciclo completo

Busque tecnificação, busque conhecimento ou então coloque uma placa de ‘vende-se’ na porteira da fazenda”. O recado é direto e vem de Fábio Carneiro, produtor que cresceu numa família de pecuaristas e está há 11 anos, juntamente com o irmão, Flávio Carneiro, gerindo os negócios da família.

Na década de 1960, quando as atividades da Fazenda Vera Cruz do Água Limpa foram iniciadas pelo avô de Fábio, em Britânia, no interior de Goiás, essa frase poderia soar como uma “maluquice”. No entanto, hoje ela é mais que pertinente, pois alguns pecuaristas ainda insistem em continuar na década de 60.

Pesquisadores da Cicarne Embrapa divulgaram em novembro de 2020 tendências para a Gestão Pecuária que estarão difundidas até 2040, um futuro que na verdade já é realidade em milhares de fazendas pelo Brasil e pelo mundo, como é o caso da própria Fazenda Vera Cruz.

Rapidez e produtividade

Fábio explica que, até 2018, a fazenda acumulava pilhas de papel e inúmeras planilhas com informações incompletas sobre o rebanho, o que dificultava o cruzamento de dados, a tomada de decisão e gerava erros e retrabalhos. “Chegou num momento em que precisávamos ter uma informação mais fácil, confiável e uma forma mais simples para trabalhar no curral”, conta.

Flávio e Fábio Carneiro fazem a gestão da Fazenda Vera Cruz do Água Limpa há mais de uma década

Em 2019, após uma primeira experiência com um software de gestão, Fábio chegou até o iRancho, plataforma que alcançou este ano a marca de mais de 1 milhão de animais registrados em sua base. O sistema, considerado um dos mais completos e fáceis de usar na pecuária de corte, tem transformado a gestão da Vera Cruz desde então.

A possibilidade do iRancho se comunicar com balanças e bastões eletrônicos permite mais rapidez e produtividade nos manejos. “Hoje, a gente consegue fazer pesagem e aparte de 250 animais por hora, em média. Um lote que hoje faço em menos de duas horas, antes gastava quase que um dia inteiro”. E completa: “Já conseguimos fazer a entrada de 1.300 animais para o confinamento, passando cada um duas vezes, pesando e depois apartando, em um dia.”

Dentre os benefícios que o sistema trouxe à rotina da Vera Cruz, Fábio também destaca a leveza e a interface “à prova de peão”, como ele mesmo diz: simples e fácil de usar. “E para  mim o grande diferencial é o suporte que nos é dado, o atendimento está realmente empenhado em solucionar os nossos problemas”, afirma o pecuarista.

Tecnificar é preciso

 O professor universitário e consultor em nutrição de bovinos de corte, Renato Dib, presta consultoria à Fazenda Vera Cruz há 10 anos. Ele consulta os dados sobre o desempenho do rebanho a partir do iRancho para realizar o seu trabalho na propriedade e destaca o quanto um sistema de gestão é fundamental para a geração de informação confiável.

De pecuarista para pecuarista, iRancho foi idealizado por Thiago Parente para solucionar problemas na gestão

Aos pecuaristas que resistem à tecnificação e à mão de obra qualificada, ele também dá o recado: “Primeiro, sem informação precisa não há como tomar decisão. Segundo, os detalhes que fazem a diferença, e o detalhe vem da informação precisa. Terceiro, a tecnificação é uma condição sine qua non (essencial) para quem quer ficar na atividade. E quem não intensificar vai sair do mercado.”

Thiago Parente, CEO e cofundador da iRancho, desenvolveu a plataforma a partir de suas próprias necessidades enquanto pecuarista. O iRancho, segundo ele, contribui para uma visão ampla e sistêmica do negócio pecuário, permitindo uma gestão completa, com registro de informação e análise de todos os dados para a tomada de decisão e estratégias na fazenda.

Para se ter uma ideia, a plataforma permite controle completo do rebanho, sanitário, financeiro, nutricional, reprodutivo, de estoque, dentre outros. Além disso, é possível personalizar os manejos na ferramenta e registrar os dados diretamente do curral, sem internet. “Temos clientes de 40 cabeças a 70 mil cabeças. Então, não importa a necessidade, o iRancho é democrático e atende do pequeno ao grande pecuarista”, afirma.

 

“Hoje, a gente consegue fazer pesagem e aparte de 250 animais por hora, em média. Um lote que hoje faço em menos de duas horas, antes gastava quase um dia inteiro.” – Fábio Carneiro, gestor da Fazenda Vera Cruz do Água Limpa

 

Manejo de pesagem realizado na Fazenda Vera Cruz do Água Limpa, com a utilização do iRancho conectado à bastão e balança eletrônica:

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

As apostas são altas para o futuro da produção de carne no Brasil. Veja o que dizem as lideranças ouvidas para o Especial Perspectivas 2021 do Anuário DBO. Assista:

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.