Governo do Tocantins assina parceria com a Fundeagro visando a retirada da vacinação contra aftosa

Uma das exigências do Mapa é que o Estado possua um fundo indenizatório ativo para atender os produtores em emergências
Entidades assinam termo de convênio para retomada do fundo indenizatório, um dos requisitos para retirada da vacinação contra a febre aftosa. Foto: Welcton de Oliveira

Para o Tocantins retirar a vacinação contra a febre aftosa a partir de 2021, uma das exigências prevista no Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa-PNEFA do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), é de que ele e os demais Estados estejam com um fundo indenizatório ativo para atender os produtores rurais, nos casos de emergências sanitárias.

Visando à adequação, o Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), e o Fundo de Desenvolvimento Agropecuário (Fundeagro) assinaram o Termo de Convênio, na última sexta-feira, 4 de setembro, para o retorno à arrecadação a partir do dia 14 de setembro. A medida segue a Portaria Federal nº 116, de 20 de setembro de 2017.

De acordo com a Adapec, o aporte indenizatório será uma garantia aos produtores rurais contra possíveis prejuízos causados por doenças no rebanho, a exemplo da febre aftosa, bem como aprimorar a qualidade nas ações e no atendimento.

É um momento histórico que vai assegurar que estamos preparados para retirar a vacina e enfrentar adversidades, esse caminho resultará em mais credibilidade e acesso a mercados internacionais mais exigentes“, disse Alberto Mendes da Rocha, presidente a Adapec.

O presidente do Fundeagro, Saddin Bucar, explica que a arrecadação será convertida em indenizações e benefícios a todos os pecuaristas cadastrados na Adapec e com as obrigações sanitárias em dia. Há aproximadamente 56,4 mil com bovinos e bubalinos. “É um grande avanço na pecuária do Tocantins, o fundo ativo colabora com a retirada da vacinação, além de ser um seguro e uma garantia do patrimônio do produtor rural”, afirmou.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura, Thiago Dourado, a união púbico-privada fortalece a defesa agropecuária na ampliação de mercados, valorização de produtos, dentre outros. “Somar esforços gera alcance e segurança para os produtores tocantinenses, bem como concretizará o avanço a novos mercados e melhoria na estruturação da defesa agropecuária”, disse.

A superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Tocantins (Senar), Rayklley Luzza, enfatizou que a retomada do fundo é um momento muito importante para o setor agropecuário, já que é essencial para retirada da vacinação contra a febre aftosa.

Participaram do encontro, representantes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins), da Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Faet) e demais servidores.

Entenda como funcionará

O boleto será emitido no momento da emissão da Guia de Trânsito Animal (e-GTA) para bovinos e bubalinos, no valor de R$ 0,50 (cinquenta centavos) por animal, juntamente com o Documento de Arrecadação da Receita Estadual (Dare). Os valores irão para a conta do Fundo, que repassará 50% da quantia arrecadada a Agência, por meio da aquisição de veículos, móveis, reformas nas barreiras fixas e escritórios, equipamentos, dentre outros.

No Estado, o Fundo existe desde 1999, mas em 2005 suspendeu a operacionalização. A arrecadação feita durante esse período, somada com os rendimentos de juros, faz com que o Fundeagro atualmente tenha um saldo de cerca de R$ 20 milhões, que poderá ser usado como indenização aos pecuaristas em casos de emergências sanitárias.

Fonte: Adapec

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

A aposta do Grupo Webler na cria

VEJA os destaques da edição de julho da Revista DBO; na capa, o Grupo Webler, forte em agricultura e pecuária, está dobrando a aposta na intensificação da cria em sua propriedade em Sapezal, no noroeste de Mato Grosso

A aposta do Grupo Webler na cria

VEJA os destaques da edição de julho da Revista DBO; na capa, o Grupo Webler, forte em agricultura e pecuária, está dobrando a aposta na intensificação da cria em sua propriedade em Sapezal, no noroeste de Mato Grosso

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.