Negócios de algodão seguem em ritmo lento

Dificuldade de efetivação de novos contratos fez cotações oscilarem na última semana
Foto: Sérgio da Silva.

As comercializações de algodão em pluma seguem lentas. Compradores consultados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq USP) sinalizam dificuldades na efetivação de novos contratos, visto que há tipos diferentes de algodão em volumes ofertados por vendedores, mas com um preço único para o lote.

Como o ritmo de exportação segue firme nesta temporada (pode superar 120 mil toneladas em janeiro, de acordo com a Secex), o produto de melhor qualidade acaba sendo destinado ao mercado externo. Para tipos melhores, especialmente, vendedores consultados pelo Cepea seguem firmes nos preços pedidos. Entretanto, como a maior parte negociada tem sido de tipos inferiores, os valores estão em leve queda.

Continue a leitura após o anúncio

Entre 22 e 29 de janeiro, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, recuou apenas 0,14%, fechando a R$ 2,9467/lp na terça-feira, 29.

Fonte: Cepea

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO