Peste suína deve pressionar mercado de carne a partir de abril

Expectativa é de crescimento das importações chinesas também de carnes bovina e de frango
Foto: Nelson Morés/Embrapa.

O avanço da peste suína africana na China deve impactar o mercado mundial de carne bovina a partir de abril e maio deste ano. De acordo com avaliação de Adolfo Fontes, economista do Rabobank, a doença ainda não se converteu em uma maior demanda chinesa por proteína animal por conta dos elevados estoques governamentais do país. Esse cenário, contudo, tende a mudar nos próximos meses.

“Eles [os chineses] vão precisar importar muito mais carne suína, mas também bovina e de frango pra compensar essa tragédia que está acontecendo”, observou Fontes durante evento realizado na Sociedade Rural Brasileira. De acordo com o economista, a produção de carne suína da China deve apresentar queda de 20% a 35% este ano por conta da peste suína.

Continue a leitura após o anúncio

Além dos estoques, outro fator que tem contido o aumento da demanda chinesa por proteína animal foi a aceleração dos abates no país de forma preventiva. “Num primeiro momento, na verdade, a produção de carne sobe, e não cai, porque manda-se mais animais para abate para se proteger de um vírus que está se espalhando muito rápido”, explica Fontes.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO