Menu
Menu

Preço pago ao produtor de leite bate recorde em fevereiro

Expressiva valorização do leite já no início do ano desperta alerta sobre a sustentação da alta, observa o Centro de Estudos

O preço médio pago ao produtor de leite brasileiro em fevereiro bateu o seu maior valor para o mês na série histórica compilada pelo Cepea, informou nesta quarta-feira o Centro de Estudos. O valor ficou em R$ 1,4146/litro, 13 centavos (10,2%) a mais do que no mês anterior e 33,8% acima do valor registrado no mesmo período de 2018.

“A intensificação do movimento de alta no campo esteve atrelada à oferta limitada em janeiro e ao aumento da competição entre empresas para assegurar a compra de matéria-prima”, comentou o Cepea em nota na qual apontou que o volume captado de leite em janeiro ficou abaixo das expectativas do mercado, com queda de 3% no Índice de Captação Leiteira calculado pelo Centro de Estudos (ICAP-L) entre dezembro e janeiro.

Entre as razões para a queda na captação, os produtores consultados pelos pesquisadores destacaram a estiagem no Sudeste e Centro-Oeste e o excesso de chuvas no Sul. Além disso, muitos pecuaristas se mostraram desanimados com a atividade leiteira após a queda da receita e o aumento dos custos de produção ao longo do último ano. “As assimetrias de informações e ações especulativas diminuíram a confiança de produtores em seguir aumentando a produção”, observa o Cepea.

Para os próximos meses, as expectativas são de altas mais modestas nos preços pagos aos produtores. O Cepea destaca que, em 2017, uma situação semelhante deu sustentação aos preços no início do ano, mas o desequilíbrio entre oferta e demanda fez os valores despencarem a partir de junho.

“A expressiva valorização do leite ao produtor já no início do ano desperta alerta sobre a sustentação desse movimento”, comenta o Centro de Estudos ao observar que houve maior oscilação dos valores de derivados, como UHT e muçarela, na negociação entre indústria e atacado no correr de fevereiro. A situação, explicam os pesquisadores, sugere certa dificuldade do mercado em ultrapassar os atuais patamares de preços.

“É importante ressaltar que grande parte do rebanho brasileiro apresenta produtividade muito abaixo do potencial e que, com preços do leite em alta, há maior estímulo nutricional e aumento da produção. Além disso, a perspectiva é de preços mais atrativos de milho nos próximos meses, principalmente a partir de junho. Por outro lado, o fenômeno El Niño pode prejudicar a produção neste ano”, conclui o Centro de Estudos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on skype
Skype
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on pocket
Pocket
Share on email
Email
Share on tumblr
Tumblr
Share on print
Print

Veja também:

Sudeste Asiático: que mercado é esse?

Coluna do Scot: Exportações brasileiras de carnes para essa região crescem rapidamente. De cinco anos para cá, as exportações de frango, carne bovina e de carne suína cresceram 32%.

Você precisa adquirir uma de nossas assinaturas.

SOBRE A MÍDIA DBO

A DBO Editores Associados, fundada em junho de 1982, sempre se caracterizou como empresa jornalística totalmente focada na agropecuária. Seu primeiro e principal título é a Revista DBO, publicação líder no segmento da pecuária de corte. O Portal DBO é uma plataforma digital com as principais notícias e conteúdo técnico dos segmentos de corte, leite, agricultura, além da cobertura dos leilões de todo o Brasil.

ANUNCIE DBO

Acompanhe aqui o vídeo da edição mais recente da Revista DBO. Para ver os destaques das outras edições, basta clicar aqui.

ASSINE A REVISTA DBO

Revista DBO Ligue grátis: 0800 110618 (Segunda a sexta, das 08h00 às 18h00)

2018 DBO - Todos os direitos reservados

×

Carrinho