Preço pago ao produtor de leite reage e sobe quase 2%

Menor oferta no campo em agosto elevou, também, as cotações dos derivados lácteos em setembro

O preço médio pago ao produtor de leite em setembro, referente à captação de agosto foi de R$ 1,3728/litro, alta mensal de 1,94%, aponta levantamento do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Na comparação com igual período do ano passado, a valorização foi de 9,5%. Segundo o Cepea, o movuimento é “atípico” e reflete a menor oferta de leite em agosto – contrariando as expectativas do mercado.

+Custos de produção do leite caem em agosto, aponta Cepea

Continue a leitura após o anúncio

“É preciso destacar que, no Sudeste e Centro-Oeste, o período seco prejudica a disponibilidade de pastagens, limitando a produção”, explica a instituição em nota. No sul do país, contudo, as boas condições climáticas levaram ao aumento de 10,9% na captação de leite no Rio Grande do Sul e em 11% em Santa Catarina em agosto. No Paraná, o aumento foi de 7,5%. Com isso, o ICAP-L (Índice de captação de leite nacional) apresentou alta de 7,7% de julho para agosto/19. “Apesar do aumento da captação, o volume de leite não tem sido suficiente para abastecer o mercado doméstico e, consequentemente, laticínios concorrem pela matéria-prima, visando reduzir a ociosidade”, explica o Centro de Estudos.

A menor oferta no campo elevou, também, as cotações dos derivados lácteos. No mercado atacadista de São Paulo, o preço médio do leite longa vida em agosto, de R$ 2,53/litro, ficou 7,3% acima do verificado em julho. Entretanto, o cenário para setembro mudou e a média mensal deste mês (até o dia 26), que caiu 2%, para R$ 2,48/litro. Segundo colaboradores do Cepea, indústrias reduziram o volume de produção e, agora, operam com níveis de estoques de médio a baixo, no intuito de evitar custos extras, uma vez que os atacadistas pressionam por cotações mais baixas.

Para outubro, o Cepea desta que o preço pago ao produtor deverá ser influenciado pelo desempenho dos mercados de derivados e spot este mês (setembro), quando houve queda de preços nos primeiros quinze dias diante da expectativa de recuperação da produção após o retorno das chuvas no Sudeste e Centro-Oeste. “Assim, a valorização do leite ao produtor em setembro pode permanecer como um fato atípico e pontual”, explica a instituição.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.

Conteúdo original Revista DBO