Senai e Embrapa lançam edital de inovação para agricultura

A plataforma 'Aliança Agroindustrial' deve abrigar projetos de pesquisa e inovação em sinergia com a indústria
Foto: Reprodução

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançaram na quinta-feira, 15 de abril, a categoria de cooperação bilateral denominada Aliança Agroindustrial – plataforma que vai abrigar projetos de pesquisa e inovação em sinergia com a indústria. O investimento inicial será de R$ 3,2 milhões para projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que contribuam para o setor. O Senai e Embrapa vão disponibilizar, cada uma, recursos de até R$ 1,6 milhão para distribuição, conforme regras pré-estabelecidas em acordo, informa o Senai.

A Aliança Agroindustrial é uma das oito categorias existentes na Plataforma Inovação para a Indústria. O processo de adesão à nova categoria, conta com início previsto para o dia 20 de abril.

A contrapartida total das empresas deverá ser igual ou superior a 50% do recurso aportado pela Plataforma, que é de até R$ 800 mil por projeto. A duração máxima dos projetos será de 24 meses sem possibilidade de prorrogação. No contexto da cooperação, o diferencial é que a Embrapa, Instituto Senai de Inovação (ISI) e a indústria elaboram a proposta, mas quem submete o projeto é a indústria.

A Plataforma está aberta à participação de empresas do setor industrial de todos os tamanhos, inclusive startups de base tecnológica. Para participar, é necessário enviar a ideia pela Plataforma de Inscrição, seguindo normas e cronogramas específicos de cada categoria.

O diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, informou em comunicado que “mais do que exportador de commodities, o Brasil deve passar a ser conhecido como país de origem e procedência de produtos agroalimentares com valor agregado, por isso o investimento numa rede de pesquisa e inovação para, em parceria com a indústria, tornar viável o investimento na criação de selos e certificações, associado a iniciativas de geomapeamento da biodiversidade brasileira”.

Apesar de ainda modestos, os recursos inicialmente aportados criam expectativas positivas com relação ao futuro da plataforma.

“A forma como a Aliança Agroindustrial se organiza faz com que os recursos se multipliquem. Não temos dúvida sobre o potencial inovador dessa parceria que une a pesquisa aplicada pública e a indústria, com resultados de captura de valor para reinvestimento em ciência e ampliação dos impactos já positivos do agronegócio na economia brasileira”, avaliou na nota o presidente da Embrapa, Celso Moretti.

Compartilhe
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.