USDA apoia decisão de uso limitado de estoques de defensivos à base de dicamba

Agência de Proteção Ambiental dos EUA autorizou o uso limitado de estoques de químicos existentes e já adquiridos, decisão que teria sido criticada pelo Centro de Diversidade Biológica
Foto: Freepik

O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, disse, em nota divulgada na última sexta-feira, 12 de junho, que o Departamento de Agricultura do país (USDA), apoia as ações tomadas pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA, na sigla em inglês) para “responder responsavelmente” à decisão do Tribunal de Apelações do Nono Circuito dos Estados Unidos, que pediu à EPA a revisão do registro para uso no país de três defensivos à base de dicamba.

De acordo com a nota, a EPA autorizou o uso limitado de estoques de químicos existentes e já adquiridos, decisão que teria sido criticada pelo Centro de Diversidade Biológica.

“Numa época em que a segurança da cadeia de suprimento de alimentos é primordial, o Centro de Diversidade Biológica e seus aliados buscam prejudicar os agricultores norte-americanos e limitar ainda mais sua capacidade de alimentar, abastecer e vestir esta nação e o mundo”, disse o secretário.

Segundo ele, o tribunal não deveria permitir que a “hostilidade” dos autores do processo contra o agricultor norte-americano oculte o fato de que as ações da EPA “seguem precedentes legais e bom senso”.

De acordo com o USDA, a decisão da EPA acompanha atos precedentes do órgão em administrações Obama e Clinton, quando os registros de outras ferramentas de proteção de culturas foram cancelados.

Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Revista DBO | Na vanguarda ambiental

VEJA mais destaques da edição de julho; na capa, Liga do Araguaia entra no “mercado verde”. Alguns produtores já recebem de R$ 250 a R$ 370/ha/ano para manter excedente florestal de pé.

Publieditorial

2742961

Newsletters DBO

Os destaques do dia da pecuária de corte, pecuária leiteira e agricultura diretamente no seu e-mail.